Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

@BrunoSwell 29/06/2009 24

lap 481x320 custom Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Este artigo pode ser proíbido

para menores de 18 anos.

Se você tiver menos por favor clique aqui.

Não confunda erotismo com educação sexual!

001 Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Você já ficou em dúvida se ela gozou? Teve coragem de perguntar? Quando perguntou, se sentiu meio bobão? Ou você é do tipo que acha que toda mulher goza contigo? Bom meu caro, se este último caso é o seu, sinto lhe informar que provavelmente você esteja se iludindo.

Infelizmente, o percentual de mulheres que gozam ainda é relativamente baixo, então não é provável que todas as mulheres realmente gozem com você. Se todas elas gozam, muito provavelmente você anda transando com um monte de fingidas mesmo. Difícil admitir isto? Então comecemos do princípio.

Tenho um amigo que diz: “Não vou mais transar com a fulana porque ela não goza”. Ora, com essa exigência toda, ela vai se sentir tensa e não vai gozar mesmo. Ou, se tiver muito medo de perdê-lo, vai resolver fingir para agradar. Um homem nunca deve reclamar para uma mulher do fato de ela não gozar. E, mesmo sem reclamar, é capaz que ela perceba que isto o incomoda. O resultado, na maioria das vezes, é fingimento.

Se um homem quer mesmo que a mulher goze, deve começar por mostrar que a falta de orgasmo dela não tira o tesão dele. Deve conversar e perguntar se há alguma coisa que possa fazer para ajudá-la a atingir o orgasmo.

O que você precisa é fazer com que ela chegue ao clímax, mas nunca exija um orgasmo, inclusive porque gozar é um direto da mulher, não uma obrigação.

Como saber se ela gozou?

Se uma mulher está excitada, sua vagina fica molhada e seu clitóris fica inchado. O clitóris é uma espécie de pênis embutido. Ele e os grandes lábios e toda a região da vulva também se enche de sangue, como no homem. Lateja quando a excitação é grande, causa uma certa ereção do clitóris e até mesmo uma “ejaculação” no momento do orgasmo. Em algumas mulheres a ejaculação é muito intensa, já em outras é apenas sutil. Mas em todas deve ser perceptível que a vagina fica mais molhada durante o ato. Obviamente que com o uso da camisinha, não da para “sentir” isto.

Você está se perguntando se há alguma glândula que faz isto? Sim, existe, é só entrar no artigo do Ponto G, clique aqui.

Então, o mais normal é que a mulher se lubrifique e que o clitóris inche.

002 Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Claro que se excetuam as mulheres que já passaram da menopausa ou que retiraram os ovários. Estas, se não fizerem reposição hormonal, tendem a produzir pouca lubrificação. Mas o clitóris sempre inchará com a excitação.

Aliás, por falar em inchar, quando o bico do peito fica duro, não quer dizer, necessariamente, que a mulher esteja excitada. Muitas vezes é só frio. Roupas ásperas também podem causar isto. Não se iluda.

Já as contrações vaginais podem ser fingidas por algumas mulheres, só depende de treino. Mas não é possível fingi-las do jeito exato em que ocorrem no orgasmo. O homem, com experiência pode diferenciá-las.

O importante é dizer que não há orgasmo só com respiração intensa e gemidos. Gritos também não é indicativo de que a mulher chegou lá. Um orgasmo necessariamente causa algum tipo de contração no diafragma. Há espasmos, às vezes muito intensos. Algumas mulheres mais tímidas podem gozar de forma bem discreta, mas o bom observador vai perceber que naquele momento ela ficou “transtornada”, fez uma viagem a algum lugar. E as contrações vaginais ocorrem até nas tímidas.

Mas cuidado para não ver fingimento onde não há!

Não espere sempre uma série de orgasmos consecutivos. Há mulheres que só gozam uma vez, assim como os homens. Depois de um orgasmo muito intenso, este tipo de mulher fica meio exaurida e precisa de um tempo para se recuperar. Nestas horas ela não quer que você toque no seu clitóris, às vezes nem ao menos no seu corpo, porque dá aquele “choquinho” desagradável que muitos homens sentem no pênis depois de gozar.

Converse com ela, se quiser, para saber que tipo de orgasmo ela costuma ter. Um grande número de mulheres tem orgasmos sucessivos, mas a grande maioria tem um só, muito forte e satisfatório. Como este orgasmo é muito parecido com o masculino, você poderá entendê-la e imaginar o que a agrada ou desagrada depois gozo.  Só não pode achar que ela não gozou e chamá-la de mentirosa ou ficar frustrado.

Resumindo, homens e mulheres devem fazer da relação sexual uma grande fonte de prazer, para os dois. Soltem-se e aproveitem. E se o casal for íntimo, vale a pena quebrar barreiras para que o orgasmo seja bom para os dois e que não haja fingimento.

Mas enquanto você não sabe se a mulher fingiu, aprenda as diferenças entre os orgasmos masculino e feminino.

004 Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Eu bem vi no: Sexo e relacionamentos

Vamos colocar o artigo mais completo?

Pompoarismo, vai ficar mais interessante.

Pompoarismo é uma técnica oriental antiga, utilizada por mulheres, que consiste em contrair e relaxar a musculatura do períneo, a fim de explorar com maior intensidade a satisfação sexual, tanto sua como de seu parceiro.

Os exercícios básicos consistem na contração vaginal e na sucção vaginal. Para o domínio da técnica são realizados com o auxílio dos ben-wa, que consistem em pequenas bolas ligadas através de um cordão de nylon, conhecidas também como bolinhas tailandesas (no caso das mulheres), e na contração na musculatura no esfíncter e dos músculos do períneo (no caso dos homens).

O pompoar, no caso dos homens, está relacionado a levantar pequenos pesos, contraindo a musculatura do pênis a fim de obter melhores resultados sexuais.

Movimentos básicos

  • Chupitar – consiste na sugação peniana assemelhando-se a uma chupeta infantil.
  • Estrangular – aperta o pescoço da glande com um dos anéis vaginais.
  • Expelir – o corpo do pênis é forçado ficando somente a glande no interior da vagina.
  • Ordenhar – massagem no pênis ordenada, utilizando os anéis vaginais.
  • Sugar – somente a cabeça do pênis é introduzida na mulher, que tentará sugar o corpo do pênis.
  • Torcer – aperta-se os anéis vaginais torcendo-os.
  • Travar – a saída do pênis é impedida pela contração vaginal.

Eu bem vi no Wikipedia

Vamos mais longe? Já que você tem medo de digitar no Google eu te ajudo a saber…

Mais sobre Pompoarismo… +, + e +! rs

O exercício do prazer

“Fortalecer os músculos da vagina para aumentar o prazer durante o sexo é uma prática milenar. Nasceu na Índia, foi aperfeiçoada no Japão e na Tailândia, ganhou o nome de pompoarismo e agora conquista centenas de adeptas no Brasil.” Laura Muller

Parecem duas bolinhas de pingue-pongue. Mas são menores, um pouco mais pesadas e unidas por um cordão bem fino. Brancas ou coloridas, texturizadas ou lisas, as ben-wa – que em japonês quer dizer “que se acomodam”, estão se tornando atração nos consultórios de ginecologia e nos cursos que ensinam como aumentar o prazer durante a relação sexual. Praticando exercícios com essas bolinhas dentro da vagina, as mulheres trabalham sua musculatura. Como resultado, melhoram a qualidade do orgasmo e evitam o afrouxamento da região pélvia, que com a idade ou com partos sucessivos, perde a firmeza.
Utilizar as ben-wa não é tarefa das mais fáceis.Claro que ninguém consegue na primeira tentativa. Requer semanas de treino e muita paciência. Às vezes, antes, é preciso enrijecer a musculatura com movimentos mais simples, que incluem o uso dos dedos, de um vibrador ou de pesinhos que se parecem com um absorvente interno. Mas esse esforço compensa. “Minha vida sexual mudou. Tive sensações deliciosas, que nunca havia experimentado”, conta a empresária Mari Rocha Lima, 42 anos, de Guarulhos (SP). Ela participou de um curso de ginástica sexual em busca de mais prazer. “Só quando você trabalha essa musculatura percebe o poder que pode ter na cama”, revela.

Império dos sentidos: onde e como

nasceu o pompoarismo

Video colocado em 2007 no Youtube, site de
videos que não permite pornografia:
Indicação da dayalencar,  Obrigado!



Para chegar ao alcance de Mari, a técnica percorreu um longo caminho pelo Oriente. Os primeiros exercícios surgiram na Índia, com o tantra, doutrina milenar que encara o sexo como uma forma divina de atingir a plenitude. Bem mais tarde, no início do século XX, gueixas japonesas e prostitutas tailandesas se apoderaram desse conhecimento para massagear o pênis de amantes e clientes com a parte interna da vulva. Treinavam com as contas de seus colares, a primeira versão das atuais ben-wa. A arte ficaria conhecida como “pompoar”, que significa sugar o pênis. As tailandesas foram ainda mais longe que as japonesas. Começaram a lucrar com exibições em que fumavam cigarros com a vagina e arremessavam pequenos objetos. Em 1976, esse tipo de proeza ganhou as telas dos cinemas. A cena em que um ovo era sugado e depois expelido foi a mais comentada do filme O Império dos Sentidos, um clássico erótico. A façanha reapareceria, em 1994, na comédia Priscilla, A Rainha do Deserto, em que uma mulher atira uma bolinha de pingue-pongue na platéia durante um espetáculo erótico.

Como essa técnica chegou ao país:

Do circuito da pornografia aos consultórios médicos.
O pompoarismo chegou ao Brasil em meados da década de 70, mas até pouco tempo atrás ficou restrito aos circuitos de pornografia. Uma das formas de conhecê-lo era entrar em contato com o Velho Mestre, um homem de meia-idade que usava esse codinome para anunciar aulas particulares em jornais. Mas ele só ensinava jovens. E na prática: marcava o encontro num motel, manipulava os objetos na aluna e, no final, transavam “se ela quisesse”. Faz mais ou menos um ano que seus anúncios desapareceram dos jornais. “A esposa e a filha descobriram e o pressionaram a parar”, conta o antropólogo Mauro Cherobim, que conheceu o Velho Mestre quando elaborava um estudo sobre pornografia no Estado de São Paulo. Hoje a história é bem diferente. Quem se propõe a ensinar não toca em ninguém, fornece apostilas e reúne até cinqüenta pessoas em auditórios ou salões de eventos transformados em salas de aula. Duas das professoras mais conhecidas são a ginecologista Glene Rodrigues Faria, do ambulatório de sexualidade do Hospital Pérola Byington, em São Paulo, e Stella Alves, uma ex-aluna do Velho Mestre que afirma ter aprendido tudo “por correspondência”. “As pessoas têm gostado tanto que em Brasília dei aula para 200 mulheres num final de semana”, diz Stella.

Especialistas alertam:


Melhora o sexo, mas não resolve problemas emocionais
Nos consultórios, ensina-se uma ginástica muito semelhante ao pompoarismo, baseada na técnica do ginecologista americano Arnold Kegel. Nos anos 50, ele recomendava às pacientes que contraíssem e relaxassem os músculos vaginais 500 vezes por dia. A quantidade de repetições era um exagero, como se comprovou mais tarde, mas os exercícios surtem resultados positivos: previnem e tratam problemas como flacidez pós-parto e incontinência urinária. Hoje, sabe-se que os exercícios de Kegel aliados à psicoterapia podem auxiliar no tratamento de vaginismo, distúrbio sexual em que a vagina permanece contraída durante a penetração provocando dor. “Só faz bem. A mulher cuida da saúde e passa a se conhecer melhor”, afirma a terapeuta Maria do Carmo de Andrade Silva, coordenadora de mestrado em Sexologia da Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro. “Muita gente nem percebe a existência de alguns músculos na região pélvica, mas descobre que pode ter sensações muito prazerosas se movimentá-la.” Segundo os especialistas, com treino é possível aprender movimentos que se assemelham às contrações que ocorrem de forma involuntária durante o orgasmo. O segredo é começar cedo. “A região pélvica sofre alterações a partir dos 25 anos. Precisa ser fortalecida para se manter saudável e sensível”, diz Maria do Carmo. Mas o ginecologista Gerson Lopes, do Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, alerta: o pompoarismo não faz milagre para quem tem inibições emocionais que interferem na cama. “Sexo está mais na cabeça do que no corpo”, afirma. Ou seja: se o emocional vai bem, a ginástica pode ser uma dose extra de prazer. Caso contrário, não faz efeito.

Encontre o ponto certo:

005 Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?


Se você tiver dificuldade para localizar os músculos que vai exercitar, um bom truque é tentar parar o fluxo de urina e depois retomá-lo por duas ou três vezes seguidas. Procure manter as
coxas bem afastadas. Os músculos que você movimentar são os que terá de trabalhar. Eles fazem parte do grupo dos pubococcígeos e vão do osso pélvico (na frente de seu corpo) até o cóccix.

Os exercícios:


O ideal é praticar estes cinco movimentos DIARIAMENTE,  pela manhã e à noite. Procure fazer pelo menos três séries de quinze ou vinte repetições para cada uma delas. É natural sentir dificuldade nas primeiras tentativas. Não desanime. Resultados positivos costumam aparecer nas primeiras semanas.

1-) Sente-se em uma cadeira e apóie as mãos nas coxas. Deixe os pés paralelos e distantes 20 centímetros um do outro. Contraia os músculos da vagina como se apertasse algo dentro dela. Conte até três e relaxe. Aumente a contagem gradativamente até chegar a dez.
Variação: contraia e relaxe os músculos rapidamente. Para acertar o ritmo, imagine que acompanha uma respiração.
2-) Recoste-se na cama e deixe as pernas separadas e semi-flexionadas. Insira um dos dedos na vagina e tente apertá-lo o mais que puder. Caso não sinta nenhuma pressão insira dois dedos. Volte a se exercitar com um dedo quando a musculatura estiver mais treinada.
Variação: tente sugar o dedo com a vagina. Conte até três antes de relaxar.
3-) Deite-se num colchonete e deixe os braços ao longo do corpo. Flexione as pernas. Essa é a posição inicial. Eleve o quadril e o dorso e fique apoiada sobre os ombros e os pés. Ao elevar o quadril, contraia os glúteos. Volte a posição inicial e relaxe os glúteos.
Variação: Na posição inicial, contraia o ânus em três tempos, sem relaxar: primeiro levemente. Em seguida mais forte e depois com toda a intensidade que conseguir. Fique assim e contraia a vagina como se sugasse alguma coisa com ela. Conte até três e solte os músculos devagar: Primeiro os da vagina, depois os do ânus.
4-) De pé com as pernas semi-flexionadas, coloque as mãos na cintura e deixe os pés paralelos e distantes 20 ou 30 centímetros um do outro. Mova a pélvis para cima e para frente. Ao fazer isso, contraia a parte interna da vagina. Segure, conte até três e relaxe.
Variação: Faça um movimento contínuo e circular, como se usasse um bambolê, só que em quatro tempos:
1-) Mova a pélvis para cima e para frente;
2-) Leve o quadril para a esquerda;
3-) Jogue o bumbum para trás;
4-) Leve o quadril para direita.
Para Incrementar:

Uma maneira de obter o máximo de eficácia no treinamento é, com o tempo, passar a usar bolinhas, pesinhos ou um vibrador durante os exercícios.

Tome dois cuidados: antes e depois de usá-los, lave-os com sabão neutro e não os compartilhe com outras pessoas para evitar a transmissão de doenças.
Pesinhos(ou Cones)
Para fortalecer a musculatura interna da vagina. De PVC, pesam de 20 a 70 gramas e são vendidos em Clínicas de Ginecologia. (240 reais).
Exercícios – Introduza o mais leve como se fosse um absorvente interno. Mantenha-o por 15 minutos. Nas semanas seguintes, tente usar o de 30 gramas e aumente o peso até chegar ao de 70 gramas.
Detalhe importante: esse é o único exercício que requer acompanhamento médico para evitar que a mulher prejudique a musculatura caso aumente o peso antes do momento certo.
Géis lubrificantes à base de Água – devem ser usados no vibrador e nas bolinhas BEN-WA para facilitar a penetração.

Há produtos vendidos em farmácia, como o KY (8 reais) e em sex shops, com aroma de frutas (de 18 a 30 reais).
Bolinhas BEN-WA – Indicadas para treinar movimentos de sucção e expulsão. De PVC ou silicone, pesam 20 gramas (cada uma) e estão a venda em sex shops(de 25 a 35 reais). As bolinhas cor de rosa têm saliências que estimulam a região a ser exercitada e tornam o treino mais prazeroso. Mas só devem ser usadas após adquirir uma certa prática.
Exercício: Coloque uma bolinha na vagina e tente sugar a outra com os músculos. Nas primeiras vezes, você pode empurrá-la com os dedos. Procure expeli-las. No começo puxe o cordão para ajudar.
Vibrador – Para aumentar a intensidade das contrações. Recomenda-se o de tamanho médio, com 3 centímetro de largura e 15 centímetro de comprimento, de PVC, vendido em sex shops (de 30 a 35 reais).
Exercícios: Introduza a ponta do vibrador na vagina e aperte-o com o começo do canal. Depois coloque-o mais para dentro e aperte-o com a parte do meio da vagina. Faça o mesmo com o canal todo. Outro movimento: coloque a ponta do vibrador na vagina e tente sugá-lo. Em seguida, procure expeli-lo.

Até quando você vai ficar esperando o melhor da vida acontecer? icon smile Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Eu bem vi no: mulher de classe

Já ouviu falar de sexo tântrico?

Já praticou? Quer saber?

Vai ter que ter bastante calma, pode até twittar… rs

006 Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Orgasmo?

A filosofia

O tantra é uma filosofia que nasceu na Índia há milênios em oposição ao hinduísmo, que é muito rígida. O tantra instituiu o culto ao feminino, à felicidade e à arte de amar. O sexo tântrico faz parte disso tudo e a mulher é o coração do tantra, é considerada uma deusa. Para se familiarizar, Shakti é o nome que se dá a energia feminina. Shiva é a polaridade masculina, a consciência que respeita e reverencia Shakti.

O sexo tântrico

O sexo não é praticado com o objetivo final do orgasmo. O interessante é atingir um estado de consciência maior, onde não há separação entre corpo e espírito. Durante o sexo, o casal deve evocar Shakti e Shiva e perceber um ao outro como divindades.

Como o caminho do paraíso para o homem não é ejacular, ele segura a ereção e atinge um tipo de prazer chamado “orgasmo cósmico”. A mulher se abre para o prazer e é capaz de ter orgasmos múltiplos enquanto acompanha seu parceiro nesse jogo de autocontrole e concentração. Dizem que atingir o nirvana é inevitável.

Você deve pensar: que coisa maluca! Mas é possível aprender com os ensinamentos do tantra e encarar o sexo tântrico como um manual de exercícios. A relação sexual vira um verdadeiro encontro do amor e não uma relação sem intimidade ou compromisso.

Preparando o ambiente e o corpo

A preparação do ambiente faz parte do ritual: incensos, flores e música dão um toque especial. A iluminação deve ser feita com velas, nunca no escuro. Tome um banho demorado e escolha a roupa pela textura. Não há preocupação nem ansiedade com o desempenho no sexo.

Se você ainda não tem intimidade com o poder da deusa Shakti, imagine essa energia feminina como uma cobra adormecida na base da coluna vertebral. Quando acordada, ela sobe até o alto da cabeça, nutrindo os chacras da coluna, unindo consciência e prazer. Deve-se praticar uma espécie de meditação a dois, um treinamento físico e espiritual para atingir a consciência suprema.

Prepare o sistema nervoso, pratique posturas, respirações, mantras e visualizações. Revigore o corpo para que seja capaz de sentir, de se emocionar e de pulsar por inteiro. Comece a transformar a relação. Só tenha olhos para o seu namorado, caminhe de mãos dadas, beije-o com ternura, troque carícias. Vocês são criaturas sagradas, e o corpo é um templo.

Como pedir ao namorado

Difícil pensar que o seu namorado topa transar com você sem gozar, né? Na verdade, o ato de ejacular e o orgasmo não estão interligados, segundo a filosofia. A sensação de gozo vem do cérebro e a ejaculação é algo físico, é a expulsão do sêmen. É possível, de acordo com a filosofia do sexo tântrico, atingir o orgasmo sem ejacular. Portanto, um dos argumentos é o prazer prolongado e a intimidade que vocês dois podem adquirir juntos. O sexo tântrico é um ritual de dedicação, cuidado. É amar devagarinho. Se vocês se amam, é uma boa maneira de transcender o comum.

Manual do Sexo Tantrico

Conta a lenda, que o coito de Shiva e Shakti durou vinte e cinco anos, sem que Shiva vertesse nela o sêmen. Como um elefante aprisionado, ele não podia se mexer. Lendas tântricas como esta tentam ilustrar a visão de mundo dos tantristas, a plenitude mágica e transformadora, alcançada quando integramos as energias masculina e feminina dentro de nós.

Mas o Tantra não é só isto. O sexo tântrico não é apenas uma forma de fazer sexo, é uma forma de ligação, uma ferramenta que entrelaça tudo, que cria uma sucessão de energia que passa de um organismo para o outro.  A sexualidade no Tantra é assim sagrada: sexo é uma forma de comungar e unir-se com a manifestação divina dentro de nós.

Trata-se de uma forma de se alcançar a energia divina que há no universo. Por isto, qualquer maneira de despertar a serpente oculta que dorme em nós com ritos, massagens, meditação, e inclusive o sexo, é sempre uma prática tântrica.

Introdução ao sexo tântrico

O sexo tântrico vem de uma antiga filosofia indiana, que transporta a sexualidade do plano do fazer ao plano do ser. É uma maneira meditativa, espontânea e íntima de fazer amor. No tantra, a mulher é concebida como Shakti, a energia cósmica criativa. O tantra induz o homem a sentir sua companheira de maneira plena.
Além disso, o sexo tântrico considera a ejaculação um desperdício da energia vital, e uma de suas metas é aprender a retardá-la. Aproveite este recurso fabuloso, além de aprender todas as posturas e as técnicas desta filosofia milenar.
Prepare a cena com dedicação: espalhe almofadas confortáveis sobre a cama, tenha à mão óleos aromáticos para o corpo, arrume o ambiente com velas e incensos… Se quiser que seja uma noite inesquecível, separe um bom vinho e alguns ingredientes, como figos, uvas, cerejas, morangos. Depois, é só colocar os ensinamentos em prática…

Os primeiros toques

Prepare um lugar confortável, sensual e tranqüilo. Decidam qual dos dois será, desta vez, o ativo e quem receberá as carícias. Na próxima vez, mudem os papéis.

Para poder experimentar as sensações táteis, é necessário prestar uma atenção especial à certos detalhes. No preparo do ritual, recomenda-se tomar um banho quente para suavizar a pele e relaxar.

A iluminação deve ser fraca: ascender velas é uma boa opção. Finalmente, esquentem os corpos com óleos de essências afrodisíacas; por exemplo, de rosa ou sândalo.

Devem dispor de tempo suficiente para livrarem-se de todas as preocupações. Durante pelo menos uma hora, cada um deve tocar e explorar o corpo do outro. Lembre-se que este terreno é tão acessível quanto inesgotável. Depois disso, conversem sobre as sensações descobertas e desejos despertados.

Massagem tântrica

A linguagem do contato, a pressão e as carícias são o caminho para descobrir uma sensibilidade que não conhecemos ou redescobrir sensações perdidas. Na massagem tântrica, as mãos são a principal ferramenta para um encontro físico, emocional e espiritual do casal. É uma ótima experiência para conscientizar-nos de que dar e receber é um fluxo constante de energia. Além disso, pode ser um delicioso prelúdio para alcançar uma excitação antes desconhecida. Descubra as infinitas possibilidades sentidas atravéz dos corpos:
Apesar da importância de conhecer diversos movimentos de massagem, a sutileza das mãos é indispensável: elas, mais do que qualquer outra parte do corpo, são capazes de transmitir ternura e carinho.
Por isso, acariciar os dedos das mãos, onde existe uma enorme quantidade de nervos, permite um relaxamento muito especial. Comece desde as pontas dos dedos, sempre evitando fazer cócegas, até terminar com ambas as mãos unidas, palma com palma.
O rosto também é uma parte muito pessoal do corpo. Lentamente, com um pouco de óleo nas mãos, percorra os caminhos dos traços: os contornos dos olhos, da testa em direção ao nariz, o volume da boca.
Depois, acaricie o rosto de seu parceiro de forma rítmica, fazendo círculos nas bochechas ou ao redor do queixo, aliviando as marcas de preocupação. Finalmente, vá descendo da cabeça até o pescoço para descarregar as tensões.
Acariciar o umbigo de seu parceiro pode acrescentar confiança. Esta é uma área vulnerável que deve ser tratada com delicadeza. Faça movimentos circulares para relaxar tensões emocionais e físicas que reprimem o fluxo de energia sexual e vital.
Deixe de lado as palavras para que o contato seja a linguagem da calma. Aproxime-se dos genitais sem chegar a tocá-los. Quem faz as massagens deve se concentrar nas sensações produzidas pela temperatura e pela textura da pele.
Os pés são uma área especialmente sensível, já que concentra-se uma enorme quantidade de terminais nervosas que se conectam com o corpo inteiro. Sutilmente, procure a pressão apropriada para evitar cócegas e ao mesmo tempo conseguir fazer seu parceiro relaxar. Algumas pessoas podem não gostar muito deste tipo de contato. Neste caso, é melhor interromper a massagem, não quebrar a harmonia e massagear outra parte do corpo.
Com pequenos toques, começando desde as costas até chegar às pernas, percorra agora o bumbum, uma área especialmente erógena. Escolha o momento certo para deter o movimento e transmitir o calor da mão apoiado na palma em cada lado. Se o jogo já é intenso, pequenas pressões com as unhas podem disparar as mais variadas sensações.
A flexibilidade da coluna é para o Tantra um eixo fundamental de energia e sensualidade. Deslize as mãos para baixo usando óleos essenciais.
Reconheça os volumes e depressões que marcam as vértebras. Para eliminar tensões localizadas, faça movimentos circulares, mais curtos ou mais intensos utilizando dois ou três dedos.
Sem chegar a tocar os genitais, mas aproximando-se deles, esta pode ser uma ginástica extremamente sexual. Percorra o baixo ventre, acaricie a parte interna de suas coxas. Com as unhas, faça desenhos em sua pele.
Lentamente, com a mão aberta e desde o umbigo, desça mostrando uma intenção que logo é desviada para voltar ao ponto de partida. Brinque com a pele improvisando movimentos fluidos. Lembre que o mapa do corpo é diferente em cada pessoa, por isso o aprendizagem só passa pelo reconhecimento.

Masturbação

Comece pensando nas suas zonas erógenas, no que você gosta e o que não gosta. Para isso, entre em seu próprio mundo de sensações. O resultado será uma surpreendente revitalização e conhecimento de seu erotismo, que poderá ser compartido com seu parceiro.
Deite na cama e acaricie seu corpo inteiro, inclusive o rosto, os peitos, o ventre e as coxas. As Nas mulheres entã lentamente, faça seus dedos recorrerem aos lábios vaginais. Pressione sensualmente a vagina e o clitóris dando liberdade a tudo que a fizer sentir prazer. Nos homens comece bela base do pênis e segurando vigorosamente, mas delicadamente suba até a glande, a área mais sensivel do corpo do homem. Concentre os estimulos nestas áreas mas não esqueça que o corpo é um todo indivisivel.

Não procure chegar ao orgasmo – use bastante tempo para desfrutar de todas as sensações sexuais. À medida que você for ficando excitada, relaxe e respire regularmente, tentando fazer com que o efeito se expanda em seu corpo inteiro.

As fantasias sexuais sempre ajudam a intensificar as sensações, mas neste momento é melhor não se concentrar em imagens mentais, mas sim entrar profundamente em seu próprio físico. Quando começar a perceber a chegada das sensações orgásmicas, tensione os músculos das nádegas, suspire, gema, grite, e expresse seu erotismo sem complexos. Entregue seu corpo ao prazer.

Posições Tântricas

Penetração Profunda
Equilíbrio entre corpo, mente e espírito: esta é a proposta da escola tântrica. Uma das formas de alcançar isso é canalizando a energia sexual para aproveitar o seu poder e energia. A penetração profunda é uma postura da escritura tântrica mais esotérica, chamada Chandamaharosana (o grande elixir lunar). A abertura das pernas da mulher permite que a penetração se sinta em um nível diferente que o habitual. Experimente outras sensações, apoiando as pernas em seus ombros.
Inclinados
A energia do Shakti flui harmoniosamente nesta postura sensual. Ambos devem estar sentados, levemente inclinados para trás, apoiando o peso nos braços. O homem deve penetrar lentamente olhando-a intensamente nos olhos. Sutis movimentos pélvicos acompanham o jogo. Se estiverem cansados, podem deitar sem perder a postura diminuindo o ritmo, formando uma mandala com os corpos entrelaçados.


Sentados

Fazer amor sentados e com as costas erguidas entrelaça os corpos, fazendo esta energia fluir livremente e com harmonia. Nesta posição o casal se abraça e se move suavemente deixando os sentimentos e os sentidos circularem.


Postura de Kali

A imagem desta postura relembra a deusa tântrica Kali sentada sobre o falo, que representa o pênis de seu parceiro inerte, Shiva. Quando eles faziam amor, procuravam uma sexualidade desinibida e desenfreada. A mulher senta-se de cócoras sobre o homem e mexe os quadris em círculos enquanto o segura pelas mãos. Durante a relação, ela pode acariciar o seu clitóris ou deixe que ele faça isso para aumentar a sua excitação e desencadear um orgasmo profundo.


Doce oferenda

A mulher fica sobre o homem, que fica apoiado nas almofadas da cama. Desta forma, você pode mostrar o seu corpo, oferecer seus seios a ele. Os mamilos são altamente erógenos, e sua estimulação ativa os centros emocional e sexual da mente. Pelas técnicas tântricas do amor, oferecer os seios ao homem simboliza a essência da feminilidade, da amante e mãe que toda mulher potencialmente é.
Postura do elefante
Esta postura brinca com os papéis dos parceiros durante o ato sexual. Sempre existe um que domina mais que o outro o ritmo do jogo. Na postura do elefante o homem controla a situação penetrando a mulher por trás, mas agüentando o seu próprio peso com a força de seus braços, apoiados no chão. A mulher não fica totalmente passiva: pode fechar as coxas para diminuir o ângulo de penetração ou mexer os quadris para acompanhar o homem em cada investida..
A postura das tesouras
O homem esticado de lado recebe a mulher que, quase de costas para o parceiro, passa a perna por cima da cintura dele, entrelaçando os corpos de uma forma muito excitante. A postura das tesouras permite que os dois se olhem conseguindo a tão desejada comunicação serena. O casal respira sincronizadamente  e se une com carícias e beijos. A perna do homem entre as da mulher pode servir para acariciar suavemente o seu clitóris e estimulá-la para alcançar um doce e profundo orgasmo.
Yantra montado
Os benefícios das variações na vida sexual de um casal são infinitos. Que a mulher coloque as pernas por cima dos ombros do seu amado e relaxe os músculos pélvicos para possibilitar uma penetração profunda. No Tantra Chandamaharosana, esta postura se denomina yantra montado. Elimina a fadiga e abre os canais energéticos da pelvis e da virilha, ao mesmo tempo em que favorece a circulação linfática.

Técnicas Tântricas

Contato visual

Um recurso herdado de velhas tradições indianas reside em frear o ritmo, seja qual for a posição escolhida, para poder se olhar profundamente nos olhos. É difícil consegui-lo, pois depois de realizada, a penetração parece impossível de se parar. Mas é possível sim, e muito excitante. A melhor postura para fazer isso é a que deixa os amantes cara a cara. Imóveis, a mulher e o homem se olham profundamente durante alguns segundos, nos quais o tempo parece parar, para voltar à atividade sexual com mais entusiasmo e excitação do que nunca.

O ponto de pressão

A ejaculação provoca no homem um desgaste que muitas vezes prejudica o clímax da mulher. O tantra ensina a controlar a ejaculação para canalizar a energia vital ao êxtase. Para isso, existe uma técnica que consiste em exercer uma firme pressão com os dedos sobre um ponto do períneo, situado entre o ânus e o escroto. Esta pressão consegue evitar que o sêmen saia da próstata. Diga-lhe para usar toda sua concentração e prestar atenção à respiração, que deve diminuir… Aproveite para aumentar a sua excitação. Peça a ele que a estimule ou faça isso por conta própria. Talvez demore para ele prender a segurar, mas a paciência é uma virtude…

A natureza animal

O tantra diz que devemos aceitar tanto a natureza animal como o caráter divino da sexualidade humana: “O homem monta na mulher como se fosse um touro”. Relaxem e percam-se nos labirintos do mundo selvagem e varie as posições. Enquanto ele a penetra por trás, você pode deitar, subir a pélvis com uma almofada ou ficar de quatro. Quando um casal se conhece melhor sexualmente, pode brincar e aproveitar a variedade e, quanto mais solta você se sentir, melhores serão os seus orgasmos.

O Elixir

Segundo o tantra, só graças à mulher o homem pode conhecer os sagrados mistérios sexuais. As secreções sexuais femininas são o néctar, o manjar dos deuses… Quando uma mulher chega ao orgasmo, crê-se que a sua saliva possui propriedades que harmonizam a energia polar masculina e feminina, o yin-yang.

Nesse momento ela deve, beija-lo profundamente para compartilhar com ele o seu doce néctar, entregue-lhe a sua saliva delicadamente, deixando que caia em sua boca, enchendo-o de prazer e energia.

Por considerar sagradas as secreções da mulher, o tantra procura posturas que favoreçam sua satisfação mais plena. Esta é uma delas. Estando a mulher de costas para ele, o homem deve penetrar suavemente enquanto acaricia seus seios e beija seu pescoço. O pênis do homem deve absorver as suas secreções, que são “os sucos do amor”. Isto também pode ser feito por meio do sexo oral.

Os pontos eróticos

A estimulação do clitóris é, para a maioria das mulheres, a porta de entrada ao prazer do orgasmo. As posições que favorecem seu acesso direto são as melhores para chegar ao clímax, seja por sua própria estimulação ou pela de seu parceiro. O ponto G também é um grande aliado na hora do seu gozo: sentada sobre o homem, que a mulher incline-se levemente para trás movendo a pelvis; isto provoca a pressão do pênis no botãozinho erógeno descoberto por Grafenberg, levando-a um orgasmo inesquecível.

Ejaculação e controle do orgasmo

Para conseguir fazer todas as posturas do tantra, é preciso desenvolver a flexibilidade. As figuras requerem força e elasticidade, especialmente na parte inferior do corpo, a raiz que nos conecta à terra. Por isso, exercitar-se é essencial: isto intensifica a descarga de energia orgásmica pelo corpo inteiro.

Mas mesmo que para o homem pareça uma condição fundamental, não é necessário que seu pênis esteja sempre ereto nas brincadeiras sexuais nem durante a relação sexual. Uma ereção que perca a força não deve implicar na interrupção da atividade: ao contrário, deveria estimular a volta com mais intensidade.

Para o homem, existe uma técnica chamada Mula Bandha, que possibilita segurar a ejaculação. Antes do contato genital, ele deverá agachar a cabeça e centralizar a atenção na área pélvica. Inspirando profundamente, deve contrair o músculo que rodeia o ânus e fazer três séries de dez contrações. Antes de sair, o sêmen passa pelo períneo, que fica entre o escroto e o ânus. A vontade de ejacular também é contida relaxando os músculos das nádegas e respirando harmoniosa e conscientemente. Esta é uma técnica que faz parte da proposta tântrica de que o homem deve aprender a controlar sua ejaculação.Realizando esta técnica, consegue-se bloquear o períneo e aumentar o prazer.

Não só os homens devem aprender a controlar seu orgasmo para aumentar o prazer de ambos. A mulher também deve aprender a fazê-lo, principalmente se sente que quando está chegando, nada o segura…Diminua o ritmo, distraia a mente e respire profundamente. Uma técnica tântrica recomenda, neste momento, apertar a língua contra o céu da boca enquanto esvazia a mente de tudo.

Para atrasar o orgasmo ou prolongar a relação, existe uma técnica tântrica que, pelo papel dominante do homem, traz ótimos resultados. Durante a penetração e, na clássica posição de “papai-e-mamãe”, faça o seu parceiro conter o movimento quando ainda não tenham chegado ao auge da excitação. Retire o pênis deixando apenas a glande na vagina e respirem profundamente levando o ar ao abdômen. Os músculos genitais de ambos relaxarão e poderão voltar a encarar o movimento sem a necessidade de acabar imediatamente.

Eu bem vi no: Morte súbita

O orgasmo múltiplo do homem

(tenso para alguns)

I. Diferença entre ejaculação e orgasmo

Apesar de quase todos os homens estarem acostumados a ter ereção, e depois a ejaculação e o orgasmo juntos, esses, na verdade, são três fenômenos distintos: ereção, ejaculação e orgasmo. Mediados em lugares diferentes – o orgasmo ocorre no cérebro e a ejaculação ocorre na uretra posterior, próstata e vesículas seminais, e é um refluxo medular -, o paraplégico, sem nenhuma sensibilidade nos órgãos genitais, consegue ter orgasmo, assim como há homens operados da próstata que não têm ejaculação nenhuma, mas têm orgasmo.

II. A ejaculação

É possível um homem ter ereção sem ejaculação, ejaculação sem ereção e orgasmo sem ejaculação, desde que aprenda a fazer isso. Orgasmo é a sensação, ejaculação é a saída de esperma.

Os chineses há mais de 3000 anos perceberam que o homem pode ter vários orgasmos seguidos sem ejacular e, desse modo, aumentar a longevidade por não sentir a fadiga que se segue à ejaculação. Não é à-toa que os franceses usam a expressão la petite mort – ” pequena morte” para a ejaculação – numa referência ao perigo para a vitalidade masculina. E de alguma forma essa sabedoria oriental é utilizada no nosso futebol. Os jogadores são obrigados a ficar concentrados uns dias antes de uma partida importante, sem qualquer contato com mulheres.

III. A produção de esperma prejudica o homem?

O New York Times publicou, em dezembro de 1992, o resultado de uma pesquisa científica sobre os danos causados pela produção de esperma para o organismo do homem, concluindo que “gerar esperma é muito mais difícil do que os cientistas imaginavam. Isso requer um desvio de recursos que pode vir a prejudicar a saúde masculina a longo prazo”. E faz sentido, pois durante toda a sua vida um homem ejacula em média 5.000 vezes. Considerando que cada ejaculação contém de 50 a 250 milhões de espermatozóides, ele ejacula cerca de um trilhão de desnecessários espermatozóides! Entretanto, na realidade, só precisaria ejacular quando desejasse ter um filho.

Sem falar nas queixas das mulheres: “Depois que meu marido tem orgasmo ele vira para o lado e dorme. Eu fico ali, sozinha, olhando o teto”. Quem nunca ouviu uma frase dessas? É, com certeza, a reclamação mais comum das mulheres em relação aos seus parceiros no sexo. Muitos dirão que isso acontece porque o homem é egoísta mesmo, que só pensa em sexo e após se sentir satisfeito perde o interesse pela mulher. Mas não é isso, não. Esse desencontro ocorre porque ele ejaculou e… ficou exausto. Mal consegue se mexer, só desejando dormir. Um homem até declarou: ” Depois que eu ejaculo, o travesseiro se torna muito mais atraente do que a minha namorada”.

“A representação da mulher insatisfeita, cujo amante ejacula, grunhe e desmorona sobre ela é tão comum que já virou piada popular”, diz Mantak Chia em seu livro. Para ele, a exaustão que os homens sentem após a ejaculação é também tão antiga quanto o primeiro gemido do coito. Segundo seu relato, há 5000 anos, Peng-Tze, um conselheiro sexual do famoso imperador amarelo, disse: “Após ejacular, o homem fica cansado, seus ouvidos zunem, suas pálpebras pesam e ele deseja ardentemente dormir. Ele tem sede e seus membros parecem fracos e tensos. Ao ejacular, ele usufrui de um breve momento e depois sofre um longo período de exaustão”.

Mantak diz que, assim como os atletas, os artistas parecem também sentir no trabalho os efeitos da ejaculação. E ilustra com o caso do músico de jazz Miles Davis, considerado um dos maiores trompetistas do mundo, na entrevista à revista Playboy:

Davis: Você não pode gozar, depois lutar ou tocar. Você não consegue. Quando eu estou pronto para gozar, eu gozo. Porém, eu não gozo e depois vou tocar.

Playboy: Explica isso para os leigos.

Davis: Pergunte ao Muhammad Ali. Se ele goza, ele não consegue lutar dois minutos. Porra, ele nem mesmo poderia me bater.

Playboy: Para provar seu ponto de vista, você lutaria com Muhammad Ali em tais condições?

Davis: Pode apostar que sim. Mas ele tem de prometer que vai foder primeiro. Se ele não foder, eu não luto. Você renuncia a sua energia quando goza. Quero dizer, você desiste de tudo! Então, se você foder antes de uma apresentação, o que vai fazer quando estiver na hora de dar o seu máximo no show?

IV. Orgasmo sem ejaculação

A ejaculação não passa de um fenômeno localizado e mecânico, no qual o líquido ejaculatório, em conseqüência da diferença de pressão, migra de um local para o outro. Já o orgasmo consiste numa série de fenômenos corporais e neurofisiológicos.

A sensação ejaculatória causada pelo progresso do líquido espermático dentro dos órgãos genitais depende do grau de força dos músculos que sustentam o pênis (músculos pubococcígeos), assim como dos músculos que o contraem, fazendo o sêmen chegar ao exterior da uretra.

Esses músculos, se treinados, podem aumentar o tempo de controle ejaculatório e, como após a ejaculação normalmente o pênis perde sua rigidez, essa ejaculação mais tardia aumenta conseqüentemente o tempo de ereção, o que por sua vez aumenta o tempo da sensação orgástica.

Além disso, é possível ter um orgasmo completo sem ejaculação simultânea, e aí se encontra o segredo para o homem se tornar multiorgástico. A maioria dos homens que já teve essa experiência espontaneamente julga que foi um acidente, outros já se preocupam achando que está acontecendo algo de errado com eles, mas muito poucos pensam no fato de que pode ser uma experiência repetida quantas vezes quiserem e ser cada vez mais aperfeiçoada.

V. Orgasmos múltiplos

Sem dúvida, o orgasmo é o prazer físico mais intenso que o ser humano pode experimentar. E o homem pode aprender a ter vários orgasmos consecutivos, mais intensos e fortes, sem ejacular. Dessa forma, ele substitui o prazer momentâneo de uma ejaculação comum pelo prazer do orgasmo múltiplo, que, além de permanecer por longo período, aumenta a energia e a sensação de bem estar. Mas a maioria dos homens desconhece seu potencial multiorgástico e só se preocupa em chegar rápido à ejaculação para se certificar de que cumpriu o papel de macho.

O homem multiorgástico é aquele que consegue ter dois ou mais orgasmos consecutivos. Mesmo depois do primeiro orgasmo ele pode manter a ereção e continuar fazendo sexo, alcançando mais um, dois ou três orgasmos sem descansar. Para isso é necessário que ele aprenda a ter orgasmos completos sem ejacular. Não havendo ejaculação, não há período refratário e, portanto, não há perda de ereção.

Não é muito comum encontrarmos homens com essa experiência em nossa cultura, porém na cultura oriental não é novidade. O conhecimento do orgasmo múltiplo masculino e do orgasmo não ejaculatório é muito antigo, e podemos encontrar referências na literatura tântrica e na história dessas culturas.

No tantrismo, antiga doutrina da Índia, o homem não ejacula, mesmo havendo penetração na relação sexual. O sêmen é retido no seu corpo por ser considerado essência divina. Sua finalidade é circular através dos chacras até atingir o cérebro e inundá-lo dessa energia divina.

Quando o orgasmo múltiplo masculino foi mencionado pela primeira vez nos Estados Unidos, no final da década de 30, a maioria dos profissionais julgou-o uma anomalia. Mas, em seu livro publicado em 1948, Kinsey relata que alguns homens declararam ter mais de uma ejaculação com a mesma ereção. A partir daí, embora mais receptiva a essa idéia, a comunidade científica acreditou tratar-se de uma capacidade específica de alguns homens e não considerou possível um homem tornar-se multiorgástico. Somente a partir da década de 70 começou a ser aceita a possibilidade de o orgasmo múltiplo masculino poder ser aprendido.

Alguns sexólogos divulgam através de seus livros exercícios a serem praticados pelos homens que desejam se tornar multiorgásticos. Tudo começa com o aprendizado do controle do músculo pubococcígeo. O músculo PC, como é conhecido, é na verdade um grupo de músculos que vai do osso púbico até o cóccix. É ele que na ejaculação se contrai, levando o sêmen através do pênis para ser expelido. Como o orgasmo múltiplo masculino depende de um músculo PC forte, a maioria dos exercícios ensinados visam ao seu fortalecimento. Barbara Keesling descreve o caso de James:

“Quando James e sua parceira fazem amor, de modo geral ele leva dez minutos ou mais para atingir um orgasmo. Ele começa a relação sexual lentamente e vai deixando sua excitação aumentar. Então, no instante em que está prestes a ejacular, com um movimento firme, ele se introduz profundamente em Sharon e contrai o músculo que se estende da base do pênis à área situada atrás dos seus testículos. Isto lhe permite um orgasmo completo – inclusive com aumento rápido de batimentos cardíacos, contrações musculares e aquela incrível sensação de alívio – sem ejaculação. James mantém sua ereção, continua a fazer amor e pode ter mais dois a quatro orgasmos dessa forma. Quando quer parar, ele atinge o orgasmo final e ejacula. James consegue fazer isso porque conseguiu um perfeito controle dos músculos pélvicos, que entram em espasmos quando o homem ejacula.”

VI. Fortalecendo os músculos PC (pubococcígeo)

Para o homem ter vários orgasmos sem perder a ereção, existe toda uma técnica a ser desenvolvida. Nela se aprendem exercícios que possibilitam o controle da respiração e o fortalecimento do músculo da região pubiana, responsável pelas contrações rítmicas da pelve durante o orgasmo. Assim, o homem passa a ter ereções mais firmes, intensifica seus orgasmos e aprende a separar orgasmo e ejaculação. Os homens que têm orgasmos orgasmos sem ejaculação afirmam que o prazer é bem mais intenso do que o alcançado no orgasmo ejaculatório.

Para os especialistas, os homens que praticam esses exercícios começam a sentir orgasmos múltiplos dentro de uma a duas semanas e a aperfeiçoar as técnicas em três a seis meses. É curioso, mas até há pouco tempo as mulheres também não sabiam que eram multiorgásticas. E muitas só passaram a ter orgasmos múltiplos depois que descobriram ser isso possível.

EXERCÍCIOS PARA FORTALECER O MÚSCULO PC:

O primeiro passo é encontrar o músculo PC. Todos os músculos individuais próximos da virilha, nádegas, abdômen, coxas e PC podem parecer o mesmo, portanto, a maneira mais simples de encontrá-lo é isolá-lo de todos os outros, colocando um ou dois dedos atrás dos testículos. Finja que está urinando. Interrompa e segure o fluxo.O músculo PC é exatamente o que foi usado para interromper o fluxo da bexiga. É muito importante que os músculos do estômago e das coxas se mantenham relaxados.

Exercícios:

Três vezes por dia contraia vinte vezes o músculo PC.

Retenha-o durante 1 ou 2 segundos a cada vez, depois solte-o. Não é necessário ficar com os dedos sobre o músculo, basta senti-lo internamente, mas caso não tenha certeza, pode mantê-lo até adquirir confiança.

Respire normalmente durante esse exercício.

Informações:

1- Repetindo muitas vezes, o músculo PC pode ficar dolorido como qualquer outro músculo.

2- Não conseguir isolar o PC: caso os outros músculos não deixem de ser retesados durante os exercícios com o PC, o primeiro passo é levar esses músculos à exaustão, para que não interfiram. Se há tendência a contrair os músculos do estômago, deve-se então contraí-los e descontraí-los 10 ou 20 vezes antes de começar os exercícios com PC. Isso deverá cansá-los suficientemente, para não interferirem.O mesmo se aplica às nádegas, coxas e músculos da virilha.

3- A partir da quarta semana, além das vinte contrações rápidas, três vezes ao dia, acrescentar mais dez contrações realmente longas. Em cinco segundos contrair lentamente o PC o mais firme que puder. Mantenha essa contração durante cinco segundos, se possível. Depois vá descontraindo gradualmente durante os cinco segundos restantes. No início poderá ser um pouco difícil, talvez se consiga fazer uma ou duas contrações sem se cansar, mas com a continuidade se chega até lá.

Eu bem vi no: Cama na rede

Livros consultados:
— A cama na varanda, Regina Navarro Lins, Editora Rocco, 1997.
— O orgasmo múltiplo do homem, Mantak Chia e Douglas Arava, Editora Objetiva, 1996.
— Como fazer amor a noite toda…e levar uma mulher à loucura, Barbara Keesling, Editora Record, 1995.

Agora é com vocês, fiz minha pequena parte icon smile Como saber se a mulher fingiu um orgasmo? rsrsrs

twitteravatar001 normal Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

Espero que tenha gostado!
Se gostou, colabore com quem te deu a informação.
Responda o post. icon smile Como saber se a mulher fingiu um orgasmo?

@BrunoSwell
www.BlogPop.com.br

Cadastre-se rapidamente para comentar, escolha sua Rede Social favorita.
(Se não estiver vendo mais os ícones das Redes Sociais, significa que já está cadastrado).
Li e concordo com os termos de serviço.

24 Comentários »

  1. alessandra 17/05/2012 at 3:03 PM - Reply
    nossa vou experimentar essa deve ser ótimo
    muito bom obrigada Bruno!
    • @BrunoSwell 17/05/2012 at 9:13 PM - Reply
      Alessandra, sempre experimente tudo que sentir vontade de fazer :)
  2. Andre Bassakin 26/09/2011 at 8:53 PM - Reply
    Para mim ´e o óbvio-ululante,……………….Sexo é divino, é coisa criada p/ DEUS. Basta observar vários documentários sobre animais. O que não se pode esquecer,…………….é que para a pratica do ato-sexual, é preciso o consentimento “livre” e tranquilo do parceiro(a). Caso contrário, não é ato-sexual,……….é estrupo.
  3. Luciene 11/08/2011 at 5:50 PM - Reply
    matéria otimaaa..parabéns..
  4. Katia Raynier 09/08/2011 at 4:53 AM - Reply
    Grande o texto verdadeira enciclopedia, concordo com muita coisa ai mas tem muitas discrepancias tambem, nada e bitolado algumas de nos temos tecnicas proprias. para sentir e para dar prazer. Sexo tantrico jamais sera uma sacanagem, esta mais para exercico mental e extase da mente e corpo. quanto a gozar, sim podemos ter orgasmos multiplos ate uns 15 em menos de 1 hora! Coisa que o sexo masculino 1 vez ja é muito, pois o orgasmo masculino extravasa total ejaculando , nescessitando de tempo para se repor. porem estes 15, nao sao o top, são pequenos picos, por isso nem todas fingem, como a maoiria fala, pode ter sido apenas um desses picos em apenas 2 ou 3 minutos de excitação, o que com um bom treino e aprendizado é possivel orgasmos simultaneos do casal, de maneira satisfatoria, mesmo com esse mini orgasmo (piquinhos) podemos nos satisfazer se acompanhados de muitas caricias. Mas o orgasmo grandao total final talvez o numero 16 nos deixa cegas e como numa explosão corpo extremece apos o fim amolecidas sem enrgia, um bom soninho dormir em conchinha e o maximo!!!
  5. Aprendiz 21/07/2010 at 8:34 PM - Reply
    Valeu Bruno.
    Se conseguir saber alguma coisa sobre a minha dúvida, por favor me informa. Pois estou preocupado. Nem mesmo o urologista foi claro. Me disse que não está comprovado que ejacular diariamente prejudique a próstata. Também me falou se não ejacular o organismo se encarrega de jogar o material para fora junto com a urina. Continuo com dúvida.
    Um abraço
  6. Aprendiz 17/07/2010 at 11:42 PM - Reply
    Olá Bruno! Parabéns pela tua pesquisa. Está muito esclarecedora e acredito que vai ajudar muita gente. Li a matéria toda e uso algumas técnicas tântricas. Consigo ter relação de 40 a 60 minutos sem ejacular. Alguns amigos meus dizem que eu poderei futuramente ter problemas sérios na próstata. Segundo algumas publicações quanto mais ejaculações melhor será para a próstata pois diminue o risco de aumento e câncer na próstata. Você pesquisou alguma coisa a respeito e pode comentar, pois agora estou com dúvidas devo ejacular ou não ejacular conf. ensinamento tântrico?
    Obrigadão e um abraço
    • @BrunoSwell 21/07/2010 at 3:28 AM - Reply
      Aprendiz, opa que bom que gostou :) Bom eu não sei sobre isso, mas procurarei saber e colocarei aqui :) Mas parece que sim depois de um tempo…. até poderque poderá ser melhor o prazer, e prender demais não faz bem também. :) abs
  7. edinaldo da silva ventura 25/04/2010 at 2:04 AM - Reply
    É muito legal toda essa dica, é possível que a mulhuer pompoie com o anus?
    • @BrunoSwell 26/04/2010 at 12:25 PM - Reply
      edinaldo, pesquisei na internet para você e pelo que parece não tem nada a respeito, procurei até supostamente por “sucção anal”, mas realmente não encontrei nada, fico te devendo essa, boa sorte. OBS: Parte do seu comentário foi editado, por conter termos baixos, sei que foi de boa intenção, por curiosidade, no entanto não posso deixar tudo que escrevem. Boa sorte nas suas bucas.
  8. emerson duarte 24/03/2010 at 10:12 AM - Reply
    gostei muito dos comentarios e das visoes das piscologas e sexologos pois tirei mais umas duvidas e desta vez com minha companheira falow fuii
  9. marie cristina peres 30/01/2010 at 9:09 AM - Reply
    pra mim tudo depende do tesão que sinto pelo meu parceiro… se for muito grande somente na penetração, já era … e meu parceiro sempre percebe que atingi o orgasmo , impossível não perceber , e continuo querendo sempre mais … afeee , coisa boa …

    já me tornei PHD em pompoarismo, fazendo os exercícios de forma básica, deitada na cama, imaginando q estaria sugando algo, pelas entranhas, tipo sucção … já realizei com um namorado, ele amou, mas nunca perguntou o q era aquilo… o importante é q ele ficou sempre querendo mais .. pque ainda era é um menino.. e talvez nem saiba o que é isso, mas ele chega lá …

    mas muito importante suas colocações , muitas pessoas tem enormes bloqueios para lidar com a sexualidade num todo , e vc colocando tudo isso de uma forma tão leve, ajuda bastante .. amei !! , bjs

  10. alex 21/01/2010 at 11:42 AM - Reply
    minha mulher gosa duas ou mais veses do que eu quando transamos e todas as veses são do mesmo ritimo e eu não sei se eu aquento,se na primeira eu já perco a vontade
  11. Laila Sena 08/12/2009 at 10:25 PM - Reply
    Ah, o artigo é ótimo.. Mas BIOLOGICAMENTE a mulher não ejacula, ok? Só os homens. O que é conhecido como “squirting” é… xixi.

    O artigo está excelente! Parabéns! :)

    beijos

    • @BrunoSwell 11/12/2009 at 5:21 PM - Reply
      Laila, existem mulheres que ejaculam assim como o homem, diferente? Sim, muito.
  12. Maria 17/11/2009 at 7:32 PM - Reply
    Aula total !! Adorei, o post é completo !! Serei obrigada a repassar para alguNS, rs. Bjocas !!
  13. João 29/06/2009 at 8:03 PM - Reply
    Interessante o seu artigo
    abraços
    Joao
  14. Andrea 29/06/2009 at 7:44 PM - Reply
    Coiitadinha da Raquel hj. haaahaaha…
    Ótimo!
  15. Isoletah 29/06/2009 at 7:35 PM - Reply
    òtimo artigo pra quem quer entender mais esse ‘ângulo’ do sexo.
  16. Leticia Veronica 29/06/2009 at 7:32 PM - Reply
    As vezes temos a falta de sensibilidade e achamos que tudo que está ligado a palavra “SEXO” é pervetido, mas qdo estamos quadro paredes não nos limitamos a nada.
    O aviso no início da página já diz: “Não confunda erotismo com educação sexual!”
  17. Kaique 29/06/2009 at 7:00 PM - Reply
    Meu, esse post é gigante. Parabéns pelo conteúdo! :o
    HAUHUAHUAUHAUHAHUUHAHAUHAH, não vou conseguir ler.

Comente! »